postagem agitação 2

Nascido numa comunidade de Capão Redondo, bairro da periferia de São Paulo, sem a visão no olho esquerdo e com apenas 50% no direito, decorrente da toxoplasmose que a mãe contraiu na gravidez, Leandro Antunes Rocha, 34 anos, costuma dizer que sua vida tinha tudo para dar errado, mas felizmente tomou um rumo surpreendente. Aos oito meses, começou a sua saga de morar com diferentes parentes e endereços, porque a mãe fora diagnosticada com problemas mentais e não poderia mais cuidar dele. Aos oito anos, foi viver com o pai, que era treinador de futebol, a madrasta e quatro irmãos. Mas não teve atenção que esperava, pois o pai trabalhava muito e também ficava muito tempo no bar. Perto de completar 11 anos, foi morar na rua. Passava o dia com outros garotos, mas à noite era cada um por si. “Só não me deixei levar para o mundo das drogas, porque não queria ser alcoólatra como meu pai ou morrer pelo tráfico como os meus primos.” Foram quase dois anos assim, até o dia em que sua avó o descobriu e o levou para morar com os tios, agricultores em Itaporanga, interior do estado. Ali aprendeu que tinha que trabalhar e estudar. Aos 25 anos, já casado, tornou-se cobrador de ônibus, mas sentia que precisava voltar aos bancos escolares e ter uma profissão mais promissora. Fez supletivo e passou no vestibular para cursar direito. “Com pouco dinheiro, todo fim de ano mudava de universidade para fugir do aumento da matrícula", lembra Rocha, que na época estagiou, por intermédio do CIEE, no Tribunal Regional Federal da 3º Região (TRF3-SP). “O estágio me fez entender o quão certo eu estava com a escolha da carreira e foi tão importante, que após alguns meses, fui convidado a participar de um processo seletivo no renomado escritório Valverde Advogados, que me contratou, pois eu possuía as características desejadas para a vaga e tinha em meu currículo o diferencial por estagiar no TRF.” Rocha foi aprovado com nota 9,8 no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que habilita bacharéis para advogar, e deve isso ao esforço de estudar de madrugada e assistir a vídeo-aulas no YouTube, já que não tinha condi- ções financeiras de arcar com cursinho preparatório. Hoje, vive com a esposa e os três filhos em Araraquara/SP. É especialista em direito do trabalho em transporte terrestre e direito da pessoa com deficiência. Tem MBA em gestão de projetos pela Universidade de São Paulo (Usp/Esalq) e atua como consultor em gestão de pequenas empresas e negócios. Nem pensa em parar: está finalizando pós-graduação em direito econômico na Faculdade de Direito de Ribeirão Preto da USP e faz palestras para inspirar pessoas a realizar sonhos, como a que ministrou na 20ª Feira do Estudante – Expo CIEE 2017. ¡